Centro Holístico de Eventos e Tratamento Terapêutico – Contato: (48) 4052-9209(Fixo) – (48) 99982-3401(Tim) – Plantão (48) 99117-7777(Vivo) – (WhatsApp +55489117-7777)

COMO CONTROLAR O PH DO CORPO?

Terapia de Recodificação
Holo Spa - Vale Encantado
Biomagnetismo Médico
Rádio Web Immb

CONTROLAR O PH DO CORPO!

NUTRIÇÃO ADEQUADA,
SIGNIFICA TER SAÚDE E FICAR
LIVRE DE DOENÇAS.

Nossa alimentação determina o estado do pH em nosso corpo, sendo o equilíbrio entre acidez e alcalinidade, um passo importante para a manutenção da saúde física, mental e emocional, já que, quando feita de forma correta, elimina a formação de ambientes propensos a cultura de vírus ou fungos, bactérias ou parasitas, bem como algumas disfunções que afetam o organismo como um todo.

Todos os fenômenos patogênicos que dão origem e desenvolvem as doenças são: virais, bacterianos, micóticos, parasitários, disfuncionais, tóxicos, psicológicos, emocionais ou alterações genéticas provocadas; estas patologias (doenças) aparecem em consequência dos micro-organismos produzirem fenômenos bioenergéticos dentro dos órgãos internos alterando o pH normal da célula, de um ou mais órgãos ou do sistema, sendo a alimentação um fator determinante.

O equilíbrio é de fundamental importância, sendo essencial para a saúde do nosso corpo e pode ser explicado de modo a ser considerado simples.

“O médico do futuro não dará remédios, mas interessará os pacientes nos cuidados com o corpo humano, a nutrição, e nas causas e prevenções de doenças”.
                                                                                                                                            Thomas Edison

O Básico.
Cada solução é, ou ácida ou alcalina. Essas soluções podem ser qualquer coisa como fluidos corporais, o ácido do estômago e do sangue, bebidas como vinho ou café ou a água do mar.

Acidez e alcalinidade são medidas em pH (potencial de hidrogênio). A escala de pH vai de 0 a 14, com 0 a mais ácida, e 14 o mais alcalino. O pH ácido do estômago é equivalente a 1, o vinho 3,5, a água 7 (neutro), o sangue venoso 7,35, o sangue arterial 7,4, a água do mar 8,5 e o bicarbonato de sódio é de 12. O ideal é manter o nosso pH em nível levemente alcalino: entre 7,35 e 7,45.

Mantendo nossa acidez e alcalinidade equilibrada, significa que regulamentam a concentração de íons de hidrogênio nos fluidos do nosso corpo.
Um ácido é uma molécula ou íon (um íon é um átomo que carrega uma carga elétrica positiva ou negativa) que podem contribuir com um íon de hidrogênio a uma solução.

Uma substância alcalinizante é aquela que contém uma molécula ou íon que se combina com íons de hidrogênio para neutralizar os ácidos e age como um amortecedor.

Os Equívocos.
Os alimentos são classificados como ácidos ou alcalinos, dependendo do efeito que têm no nosso organismo. Um ácido que forma íons de hidrogênio dos alimentos, contribui para o corpo se tornar mais ácido. Um alimento alcalinizante remove os íons de hidrogênio do corpo, tornando-o mais alcalino.

É importante notar que esta classificação é baseada em alimentos que têm efeito sobre o organismo após a digestão, e não em seu teor de acidez ou alcalinidade intrínseca.

Um equívoco comum é que, se um alimento que tem sabor ácido, terá um efeito formador de ácido no corpo. Isso não é necessariamente verdadeiro. Muitas vezes, um alimento ácido após a digestão torna o nosso organismo alcalino. As frutas cítricas são um bom exemplo.

As pessoas dizem que os limões, por exemplo, são “muito ácidos”, mas eles são realmente os minerais alcalinizantes porque eles após a digestão ajudam a remover os íons de hidrogênio, reduzindo a acidez do corpo.

(Muitas pessoas usam o termo “resíduo” ou “cinzas” para explicar o efeito de um alimento para o corpo. Um alimento com uma cinza ácida após a digestão contribui com íons de hidrogênio, tornando o organismo mais ácido, um alimento com uma cinza alcalina após a digestão remove os íons de hidrogênio, fazendo o corpo ficar mais alcalino).

Alimentos formadores de ácidos incluem junk food, alimentos processados e aqueles que são ricos em proteína animal. Alguns alimentos alcalinizantes são: espinafre, soja, passas, cenoura, frutas e cítricos.

O Problema.
Olhando para esta lista curta de alimentos formadores de ácidos e alimentos alcalinos, você pode ver onde está o problema. Norte-americanos comem muito mais alimentos formadores de ácidos do que os alimentos alcalinizantes. Infelizmente, o ácido em excesso pode causar problemas de saúde.

Acidose, ou o excesso de acidez nos tecidos do corpo é uma das causas fundamentais das doenças, especialmente as doenças artríticas e reumáticas.
Nos casos de diabetes, úlceras, hipertensão arterial, câncer, problemas cardíacos, há um desequilíbrio do pH no organismo tendendo para a acidez.

Acidose destrói os ossos, pois o corpo tem que roubar alcalinizantes minerais a partir deles, para manter o pH do sangue. Dra. Mary Ruth comenta: “Nós nos tornamos muito cheios de ácido e, como resultado, estamos experimentando uma grande variedade de doenças que florescem no ambiente ácido.”

Dr. Yoshihide  menciona que, “se este equilíbrio (ácido e alcalino) ficar desbalanceado, o metabolismo celular sofre, levando a vários tipos de doenças, sendo a fadiga uma delas”.

Os sintomas comuns de um pH desequilibrado incluem azia (sensação de queimação no estômago, ácida degustação e arrotos), flatulência, arrotos e sensação de saciedade depois de comer pequenas quantidades de alimentos.

Outros sintomas podem incluir insônia, retenção de água, enxaquecas, prisão de ventre com diarreia, cansaço, sensação de queimação na língua e na boca e halitose.

“Que o teu remédio seja o teu alimento… Que o teu alimento seja o teu remédio.”  disse: Hipócrates, Pai da Medicina, 400 aC.

A Solução.  Uma dieta com alimentos que ajudem o organismo a manter o correto equilíbrio entre acidez e alcalinidade.A dieta ideal deve ter uma relação natural de quatro partes alcalina para uma parte de ácida.

Outros sustentam que, quanto a esta proporção um bom exercício para pessoas ativas (cria uma grande quantidade de ácido), as pessoas menos ativas podem lidar com uma dieta com uma proporção de duas partes alcalina para uma  parte de ácido.

(Evitar o consumo de cocaína, anfetaminas, café, nicotina, álcool ou muito açúcar. Estes fazem seu sangue ficar com o pH ácido.)

A lista a seguir dos possíveis alimentos com reação ácida e com reação alcalina, é um guia útil ao consumidor e que deverá estar sempre presente para frequente averiguação.

A propósito. Vigiar o pH chega a ser mais importante do que vigiar o colesterol.

Estes são alimentos formadores de ácidos:
Aspargos, avelãs, arroz, ameixa, açúcar, amendoim, aveia, canjica, caranguejo, carnes, castanhas, cereais, caroço de algodão, cavala, centeio, cevada, ervilhas, cogumelos, chocolate, chucrute, espaguete, feijão (seco), frango, farinha branca, farinha de milho, gérmen de trigo, lagosta, lentilhas, macarrão, manteiga, margarina, mariscos, marmelo, massas, moluscos, mel processado, nata, nabos, nozes, óleo de fígado de bacalhau, óleo de milho, óleo de girassol, ovos, pão, peru, queijo, queijo curado, romã, salmão, tapioca, trigo, xaropes.

Abaixo alimentos que aumentam a alcalinidade (alcalinos) no sangue:
Abacaxi, abóbora, acelga, ágar-ágar, agrião, aipo, alcachofra, alface, alfarrobas, amêndoas, alga marinha, alho, alho-poró, amoras, água mineral alcalina, azeite de oliva, azeitonas, batata inglesa, banana, bardana, bebidas feitas com amêndoas, beterraba (tb folhas), brócolis, castanha do Pará, couve de Bruxelas, caqui, cenoura, couve, couve-flor, cerejas, cebolinha, cebola, coco, dolomita, endro, escarola, espinafre, frutas secas em pequena quantidade, figo (seco), framboesas, goiaba, laranja, linhaça, limões, limas, maçãs, manga, mamão, maracujá, mel (in natura), melancia, melões, morangos, molho de soja, menta, melaço, milho doce, mostarda, nabos, nectarinas, óleo de linhaça (comestível), passas, pepinos, pêra, pêssego, quiabo, rabanete, repolho, ruibarbo, salsa, soja, tangerina, toranja, uvas, (gengibre, zedoária são levemente alcalina).

Tabela de Ilustração:
TABELA_ACIDEZ_ALIMENTOS

Alimentos formador de ácido e alcalino.

Tabela Resumida:
TabelaAlimentosRezumida

Deve-se notar que, porque um alimento é ácido não há qualquer indicação de que permanecerá ácido no corpo. Pode vir a se transformar em alcalino após a digestão.

Mel (in natura) e açúcar mascavo geram cinzas alcalinas.

 A escala do pH é 0-14.
EscalaPh

O pH do nosso organismo.  

0 1 2 3 4 5 6 7
(saudável 7,35 7,45) 8 9 10 11 12 13 14.
O pH do sangue humano deve ser ligeiramente alcalino (7,35 – 7,45).
Abaixo ou acima dessa faixa se recomenda cautela para evitar doenças.
Um pH de 7,0 é neutro. Um pH abaixo de 7,0 é ácido. Um pH acima de 7,0 é alcalino.

Um pH ácido pode ocorrer a partir de uma dieta com alimentos formadores de ácidos, estresse emocional, sobrecarga tóxica, e/ou reações imunológicas ou qualquer processo que priva as células de oxigênio e outros nutrientes.

O organismo vai tentar compensar o pH ácido, usando minerais alcalinos. Se a dieta não contém sais minerais suficientes para compensar, uma acumulação de aminoácidos nas células irá ocorrer.

Um organismo ácido irá Diminuir:
– a capacidade do corpo de absorver mineral e outro nutriente,
– a produção de energia nas células,
– a capacidade para reparar células danificadas,
– a capacidade do corpo da desintoxicação de metais pesados.
Fará ainda as células tumorais prosperarem, tornando o corpo mais suscetível a fadiga e a doença.

Um pH do sangue de 6.9, que é apenas ligeiramente ácido, pode induzir ao coma e até a morte.

A acidose é muito comum em nossa sociedade e é em grande parte devido à dieta típica muito elevada em ácidos produzida por produtos de origem animal, como carne, ovos e laticínios, e muito baixa em meio alcalino que é produzida por alimentos como frutas e legumes frescos.

Além disso, nós comemos ácidos produzidos em alimentos processados como farinha branca e açúcar, como também em bebidas a exemplo do café e refrigerantes que são mais comuns.

Nós usamos drogas demais, que estão formando ácidos em nosso organismo e usamos químicos artificiais como adoçantes ou aspartame, que são venenos e são extremamente formadores de ácidos.

Uma das melhores coisas que podemos fazer para corrigir um corpo excessivamente ácido é mudar a dieta e o estilo de vida.

Para manter a saúde, a dieta deve consistir em 60% de alimentos formadores de alcalinidade e 40% de alimentos formadores de ácidos. Para restaurar a saúde, a dieta deve consistir em 80% de alimentos alcalinos e 20% de alimentos ácidos.

Geralmente:
– os alimentos formadores de alcalinidade incluem:
a maioria das frutas, verduras, ervilhas, feijões, lentilhas, especiarias, ervas e temperos, sementes e nozes.
– os alimentos formadores de ácidos incluem:
carnes, peixes, aves, ovos, cereais e leguminosas.

Equilibrando o pH do seu corpo para alcalino.

Esta carta é para aqueles que tentam “ajustar” o pH de seu corpo. A escala de pH é de 0 a 14, com números abaixo de 7 ácida (baixa de oxigênio) e números acima de 7 alcalino. Um organismo ácido é um ímã para todo tipo de doença. O que você come e bebe terá um impacto no nível de pH do seu corpo.

Equilíbrio é a chave!

Recapitulando abaixo para encorajar a prática, já que pode representar grandes economias no orçamento familiar, principalmente se levado em consideração o preço e os efeitos colaterais dos remédios!

Os alimentos ácidos acidificam ou alcalinizam, de acordo com o metabolismo, a fisiologia, a Biotipologia do Consumidor.
Frutas cítricas: limão, laranja, tangerina;

Frutas ácidas: uva, abacaxi, acerola, kiwi;
Hortaliças ácidas: tomate, agrião, ruibarbo;
Frutas verdes: quanto mais verdes, tanto mais ácidas;
Sucos de frutas: especialmente o do limão, alguns tipos de maçãs ácidas, bebidas doces industrializadas, refrigerantes,  mel,  chucrute, vinagre, soros velhos, iogurte, coalhada, Kiefer, queijo branco mal secado.

Os alimentos acidificantes são sempre, para todos, produtores de acidez. Levar em conta o metabolismo, a fisiologia, a Biotipologia do consumidor.
todos os produtos de origem animal: carnes, aves, peixes, embutidos, ovos, leite e queijo (fresco produzem mais ácido do que os curtidos);

toda gordura animal;
óleos: de amendoim e todos os óleos refinados;
cereais mesmo os integrais: trigo  aveia, milho, painço, pão, massas, flocos e derivados de cereais;
frutos com casca: amendoim, soja, feijões;
açúcar branco refinado e derivados;
doces: melado, chocolate, bombons, doces, compotas, frutas cristalizadas;
oleaginosas: nozes, castanhas, caju;
bebidas alcoólicas: cerveja, vinho e destilados;
café, chá preto, achocolatados.

Alimentos alcalinos ou alcalinizantes produzem bases (álcalis) ricas em elementos básicos (alcalinos) e não produzem acidez na digestão e demais processos metabólicos. Fazer o equilíbrio de acordo com a fisiologia, a Biotipologia do consumidor.

verduras verdes (cruas ou cozidas), batata inglesa;
verduras coloridas: cenoura, beterrabas, bananas;
castanha do Pará, água mineral alcalina;
bebidas feitas com amêndoas, frutas secas em pequena quantidade;
passas ou ameixas, dolomita;
– o gengibre e a zedoária são levemente alcalinos;
– molho de soja, o shoyu, é alcalino;
– soro fresco e derivados.

Pesquisa feita na internet e do livro : Fica livre da tua doença (Wendling, Paulo)

Enviado por:
IrmaPetronilaMuller
Irmã Petronila Müller

Canoinhas, abril de 2015.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>